Tratamentos

Mapeamento corporal pelo método fotofinder

É praticamente uma “especialidade nova dentro da dermatologia”, sendo hoje uma ferramenta diagnóstica fundamental e cada vez mais usada pelo dermatologista para avaliação dos tumores cutâneos e doenças do couro cabeludo, unhas e mucosas, além de ajudar no diagnostico diferencial de várias lesões dermatológicas inflamatórias e ate mesmo infecciosas.

Mapeamento Dermatoscópico Digital pelo Método FOTOFINDER : Equipamento de origem Alemã que permite a realização da dermatoscopia digital das mais diversas lesões cutâneas suspeitas, pigmentadas ou não pigmentadas, além de ser uma ferramenta muito útil também no diagnóstico das mais diferentes desordens dos cabelos (nesse caso o exame passa a se chamar “tricoscopia” ).

Trata-se de uma técnica de exame não invasiva, que permite ao medico um diagnóstico mais preciso da mancha ou pinta na pele (ou mesmo lesão do couro cabeludo, unhas e mucosas) utilizando-se de uma câmera e microscópio com aumento de 20 a 70 vezes. Por se tratar de um software extremamente preciso e avançado, permite avaliar o surgimento de novas lesões, assim como controlar precocemente a evolução dos sinais pré- existentes, evitando intervenções cirúrgicas desnecessárias sem abrir mão da segurança.

Suas principais indicações são:
» Detecção precoce do melanoma e outros cânceres de pele (Carcinoma basocelular e espinocelular)
» Permitir o diagnóstico diferencial com lesões benignas da pele, como as ceratoses seborreica e actínica, nevos melanocíticos (pintas ou sinais) e melanose solar.
» Acompanhamento periódico de lesões de pele suspeitas de malignidade em pacientes com múltiplos nevos, evitando assim biópsias desnecessárias.
» Tambem, serve para diagnosticar e acompanhar a resposta aos tratamentos de diferentes transtornos dos cabelos, unhas e mucosas.

Quem deve fazer o exame?
» Pacientes com múltiplos nevos (pintas ou sinais);
» Pacientes com histórico familiar ou pessoal de melanoma;
» Pacientes que tenham sofrido múltiplas queimaduras solares na infância.
» Pacientes que tenham feito múltiplas sessões de bronzeamento artificial em cabine;
» Pacientes com histórico de outros tipos de câncer de pele;
» Pacientes com determinadas afecções de couro cabeludo, unha e mucosas.